m/glpbb7a/odhnldmus/postagensrelacionadasparablog.js' type='text/javascript'/>

15 setembro 2017

Resenha: Garotas de Vidro ♥ Laurie Halse Anderson

| | 0 comentários

Foto: Divulgação/Garotas de Vidro
tulo: Garotas de Vidro
Autor: Laurie Halse Anderson
Editora: Novo Conceito
Páginas: 272
Avaliação:★★

    Garotas de Vidro é escrito em forma de diário por Lia, uma garota de 18 anos que está em constante conflito com seu peso, ela possui distúrbios alimentares, conta a caloria de todos os alimentos, se pune quando come demais e constantemente chama a si mesma de estúpida e feia.

   O livro começa quando Lia descobre que Cassie, sua ex-melhor amiga, foi encontrada morta em um quarto de hotel. Lia não sabe o motivo da morte de Cassie, mas a garota ligou 33 vezes para ela, 33 ligações pedindo ajuda, o que deixa Lia completamente abalada.

   Cassie também possuía distúrbios alimentares, no inicio não sabemos o que afastou as duas, mas aos poucos descobrimos detalhes do relacionamento delas e nos aprofundamos em suas doenças e angústias, descobrindo também como a amizade entre elas começou.

   Com a morte de Cassie, os pais de Lia ficam preocupados que a filha tenha uma recaída, já que ela voltou recentemente de uma internação e no passado elas eram muito unidas. Morando com o pai devido à atritos que ela teve com a mãe, a madrasta pesa Lia para controlar seu peso e eles tentam vigiá-la, mas como toda a história é contada por Lia, vemos que ela consegue burlar até mesmo a pesagem.

"Mordi, mastiguei, engoli dia após dia, e menti, menti, menti (Quem quer se recuperar? Levei anos para chegar aquele peso. Eu não estava doente; eu estava forte)"

   Assustada e lutando com seus inúmeros fantasmas, a garota vive em constante frustração, ela não sabe como Carrie morreu, seus pais são ausentes e ela não reconhece mais o que é realidade e o que é mentira.

   À beira de um precipício e obcecada por magreza, ela se olha no espelho e se vê sempre gorda e feia, mesmo que a maioria dos seus ossos esteja aparecendo. Sempre que está com fome se chama de estupida e se corta buscando alívio para a dor.

"Eu sei que sou eu, mas não sou eu, não de verdade. Não sei como sou. Não consigo lembrar como é que a gente faz para parecer alguma coisa."

   Esse não é um livro leve, ele toca em temas muito pesados como automutilação e suicídio, além dos distúrbios alimentares. É doloroso e real.

   Eu fiquei angustiada, em muitos momentos me senti mal, senti as angustias, os sentimentos e o desespero de Lia, eu tive uma sensação de impotência por não poder ajuda-la e por pensar em quantas garotas podem estar passando por algo parecido.

   A autora foi muito inteligente, habilidosa e expôs o tema de forma verdadeira, que nos incomoda, nos deixa tensos e nos faz um alerta muito importante.

   Apesar de ser um livro pesado a leitura é fácil, li bem rápido e fiquei impressionada com o que a autora me fez sentir e o quanto me trouxe reflexões. Acredito que nem todas as pessoas vão gostar, muitas pessoas podem se sentir desconfortáveis, mas pra mim foi uma experiência única pois o livro nos mostra não só a visão que a personagem tem do próprio corpo, que não é muito diferente do modo como muitas pessoas se veem, mas também como as pessoas enxergam Lia, os garotos como se ela estivesse morta e as meninas com inveja.

   É um livro que mexeu comigo, que me fez pensar muito e que indico principalmente para os jovens, porque ele nos aprofunda em um assunto que é pouco discutido e nos faz ter uma visão diferente.


"Não existe cura mágica, nem como fazer tudo desaparecer para sempre. Existem apenas pequenos passos adiante; um dia mais fácil, uma risada inesperada, um espelho que não importa mais."

11 setembro 2017

Resenha: A Letra Escarlate ♥ Nathaniel Hawthorne

| | 0 comentários
Foto: Divulgação/A Letra Escarlate
tulo: A Letra Escarlate
Autor: Nathaniel Hawthorne
Editora: Penguim Companhia
Páginas: 336
Avaliação:★★

"Não pode haver ultraje contra a nossa natureza comum - quaisquer que sejam as delinquências do individuo -, não pode haver ultraje mais flagrante do que proibir o culpado de esconder o rosto. "

   O começo de A Letra Escarlate é intrigante. Encontramos nossa protagonista no dia do seu julgamento, Hester Prynne é acusada de adultério e a prova dessa traição é a criança que ela teve na prisão.

   Mesmo após dois anos sem notícias do marido, sem saber se ele está vivo ou não, ela é exposta em praça pública no mesmo palanque em que criminosos são julgados e mesmo humilhada não revela a identidade do amante, sofrendo sozinha as consequências desse erro.

   No julgamento vem a sentença, a bela jovem terá de carregar no peito a letra A de adultera bordada em todas as suas roupas pelo resto da vida.

  Outro fato interessante é que na multidão que acompanha a humilhação de Hester Prynne, está um homem que a olha atentamente e que mais tarde é chamado para cuidar da criança que está doente na prisão. Para nossa surpresa, o médico Roger Chillingworth é o marido desaparecido da nossa protagonista e além de dizer a mulher para não revelar sua identidade ainda jura descobrir o amante da mulher e se vingar.

   Hester decide permanecer no vilarejo, isolada em uma cabana ela dedica sua vida a dar o melhor para a filha Pearl, encontrando em seu talento com a costura a maneira de sustentar à si e a filha.

   A protagonista é forte, durante sete anos ela sofre constantes humilhações sendo alvo de atos maldosos e olhares de desprezo, mesmo doando grande parte do que ganha aos menos favorecidos.

   A filha de Hester, Pearl, é uma personagem única, de beleza peculiar a garota é forte e as cenas em que a garota está presente são intrigantes, as vezes chegava a pensar que ela tinha algo de sobrenatural.  Roger é um personagem abominável, tomado por vingança é muito fácil odiá-lo, assim como é fácil sentir uma tremenda compaixão de Hester.

   O livro pode parecer um pouco absurdo para muitas pessoas, mas devemos levar em consideração que o livro foi publicado em 1850, a Nova Inglaterra abominava o pecado e o autor foca no puritanismo descabido, religião opressora e ignorância.  Essas coisas fazem com que as pessoas não enxerguem a generosidade de Hester ou a tratem com generosidade e respeito. 

   O livro prende o leitor, ficamos intrigados para saber o que vai acontecer e como o livro irá terminar, ele é dramático e um pouco tenso. Em relação ao amante de Hester, descobri desde o início quem ele era, mas isso não atrapalhou minha experiência de leitura. 

   Acredito que algumas pessoas possam achar a leitura um pouco arrastada, em alguns momentos a leitura não fluiu como eu gostaria, achei o final um pouco fraco, esperava mais, mesmo assim, apesar de não ser um livro marcante, de uma forma geral foi uma leitura interessante.

"O amor, seja recém-nascido ou desperto de um sono profundo como a morte, sempre traz consigo o brilho do sol, pois enche os corações de luz até que transbordem no mundo exterior."

09 setembro 2017

Desafio 52 Semanas: Sinto Saudades...

| | 0 comentários

♥  Sinto saudades do meu avô

Uma das pessoas mais importantes da minha vida. Ele era uma pessoa maravilhosa, cheia de vida, me fazia rir e me ensinou muitas coisas. Sinto muito saudade de olhar as estrelas com ele.

 Da minha infância

Eu tive uma infância maravilhosa, cheia de brincadeiras, sorrisos, momentos maravilhosos com meus pais e minha família. Era maravilhoso ser inocente, não ter preocupações e apesar de ter sido uma infância para lá de satisfatória, ainda sim queria que tivesse durado mais.

07 setembro 2017

TAG 20 coisas sobre a vida de blogueiro

| | 0 comentários


Oi meus queridos, hoje a postagem é bem especial, eu trouxe para vocês mais uma postagem do Projeto 20 Coisas. 

   O projeto foi criado pela Michele do blog Michellândia e a Heloisa do blog Onde cê vai loko. Na primeira interação formamos duplas e postamos nos blogs uma das outras e agora vou responder uma TAG criada especialmente para o projeto.

   Esse projeto tem sido maravilhoso para mim, tenho aprendido muito com todas as participantes e a experiência é incrível.

     Vamos às perguntas da TAG?

1. Conte um pouco sobre você e suas atividades. 
    Eu sou casada, tenho um filho de 10 meses, faço Faculdade de Letras, sou apaixonada por tudo que tenha a ver com literatura, amo escrever, ver séries e passar horas ouvindo música, cozinhando e lendo.

   2. Como surgiu a ideia de criar um blog?
   Meu primeiro blog quando estava passando por um momento difícil, era uma forma de desabafar, trocar mensagens de apoio e escrever sobre o que estava sentindo. Com o tempo percebi que eu amava ler e que precisava conversar com as pessoas sobre livros, então criei o Divagações de Leitora e foi uma das melhores coisas que já fiz.

   3. Como escolheu os assuntos que abordaria no blog?
     Eu queria compartilhar experiências de leitura. Como na minha cidade poucas pessoas tem esse hábito, o blog foi uma maneira maravilhosa de conversar. Aos poucos passei a falar sobre outras experiências também, o que sinto, o que gosto, etc.

   4. Você teve apoio da sua família e amigos?
     Na verdade a maioria das pessoas que conheço não faz ideia de que tenho um blog rs, meu marido foi a única pessoa que me apoiou desde o começo.

   5. Você sofreu algum preconceito por ser blogueiro (a)?
    Sim, infelizmente. As pessoas não encaram o blog como um trabalho, acreditam que é apenas diversão, perda de tempo. Perdi as contas de quantas vezes me chamaram de desocupada e disseram pra eu fazer algo de útil com a minha vida.

   6. Como você desenvolve seu conteúdo?
     Na verdade eu leio muito para trazer as resenhas e sempre digo o que realmente senti com a leitura, o conteúdo restante são ideias que surgem ou coisas que pesquisei e que achei interessantes.

   7. O blog para você é um passatempo ou você pretende torna-lo profissional?
   Eu me divirto muito com o blog, mas quero me aperfeiçoar cada dia para torná-lo profissional.

   8. Como você se aprimora para manter o blog em constante crescimento?
      Eu estudo, vejo vídeos, tiro dúvidas com pessoas que sabem mais do que eu, participo de muitos grupos e busco sempre saber um pouco mais e aprimorar aquilo que já sei.
   
   9. Quais as redes sociais que você usa para divulgar seu blog e suas postagens?
     Eu utilizo principalmente o facebook, mas estou aprendendo a mexer no twitter, instagram e pinterest.

   10.Você já fez alguma propaganda no seu blog? Como foi essa experiência? 
Ainda não tive a oportunidade.

   11. Quais canais do Youtube você costuma assistir?
   Gosto muito de canais literários como Nuvem Literária, Paola do Livros e Fuxicos, Ler antes de Morrer, Resenhando Sonhos, Geek Freak, Bruna Miranda, entre outros.

   12. O que você acha sobre a profissão blogueiro (a)?
    Uma profissão que exige responsabilidade e que merece mais respeito. 

   13. Qual a reação das pessoas quando você fala que tem um blog?
    Algumas pessoas se interessam e outras fazem piadinhas.

   14. Como você reage as criticas?
    Eu fico calma, vejo o que posso utilizar para crescer e me esqueço das críticas destrutivas.

   15. Quais são suas maiores inspirações para produzir conteúdo para o blog?
    Minhas experiências, sentimentos, vontade de compartilhar.

   16. Defina seu blog em 3 palavras?
    Amor, crescimento e felicidade.

   17. Qual a parte chata em ser blogueira?
    Acho que a parte chata é que na maioria das vezes não somos reconhecidos, dedicamos muito tempo, nos empenhamos muito e nem sempre termos um saldo positivo.

   18. Qual a parte boa em ser blogueira?
    Interagir com as pessoas, trocar experiências.

   19. Onde você deseja chegar com seu blog?
    Quero que o blog se torne algo profissional e que me gere alguma renda.

   20. Indique cinco blogs que valem a pena conhecer.

29 agosto 2017

Como criar o Hábito da Leitura

| | 0 comentários

Foto: Creative Commons

   Algumas pessoas alegam que não tem tempo para ler, outras não conseguem se concentrar e ainda há aquelas que dormem ao pegar num livro, mas ler é uma questão de hábito e você que não tem esse hábito tem inúmeros motivos para começar a ler agora. Um deles é que você pode viajar para vários lugares e conhecer diversos mundos diferentes sem sair do lugar, além disso a leitura traz grandes benefícios, entre eles: